SANTOS  E BEATOS PASSIONISTAS

(Extraído do livro"São Paulo da Cruz e a Família Passionista" de Pe.Giovanni Cipriani)

         Além de S. Paulo da Cruz, a Igreja reconheceu os méritos e virtudes de muitos outros membros da Família Passionista. Eis uma pequena nota sobre cada um deles.

 

São Vicente Maria Strambi - Sua festa comemora-se no dia 24de setembro.

         Tendo nascido em Cività Vecchia, na Itália, em 1º de janeiro de 1745,  entrou na Congregação dos Passionistas em 1769, já depois de ordenado sacerdote (1767). Eminente diretor espiritual, excelente missionário e excepcional catequista, percorreu a Itália central proclamando com fervor e competência os tesouros que encontramos em Cristo, especialmente na Sua Paixão (título até da sua melhor obra teológica publicada). Foi formador dos jovens passionistas, Provincial e, como Postulador da Causa do Fundador, publicou a sua biografia (1786), obra fundamental para o conhecimento de S. Paulo da Cruz.

         Eleito bispo de Macerata e Tolentino (1801), promoveu com o seu zelo apostólico a reforma do clero e do povo, resplandecendo, além disso, a sua exímia

caridade para com os pobres. Nos movimentos revolucionários do seu tempo, foi intrépido defensor da liberdade da Igreja, preferindo o exílio ao ilícito juramento de fidelidade proposto por Napoleão. Ao renunciar à sua sede episcopal (1823) foi chamado por Leão XII para o Quirinale, como seu conselheiro, onde viria a morrer a 1 de Janeiro de 1824, aos 79 anos de vida, oferecendo-se a Deus em substituição do Papa, também ele gravemente doente. Foi canonizado em 1950. Os seus restos mortais descansam, desde 1957, em Macerata (Itália).

 

 

São Gabriel de Nossa Senhora das Dores - Sua festa comemora-se no dia 27 de Fevereiro.

         Francisco Possenti (Assis, Itália, 1838 - Isola dei Gran Sasso, Itália, 1862), futuro Gabriel de Nossa Senhora das Dores, depois de um apelo especial da Virgem Maria, entrou para os Passionistas com 18 anos de idade (1857). Distinguiu-se pelo seu caráter jovial, a sua piedade eucarística e, sobretudo, pelo seu extraordinário amor à Virgem das Dores e a Jesus Crucificado.

         No convento dos Passionistas, Gabriel sente tanta felicidade em ser religioso e cumprir suas obrigações na oração, no estudo e no trabalho, que, escrevendo à família diz: "Caríssimo papai, o contentamento e a alegria que provo dentro destas paredes é quase inexplicável... no troco 15 minutos desta minha nova vida, por um ano de espetáculo e divertimento Ás vinte e quatro horas que compõe o dia me parecem 24 breves instantes...".

         Canonizado por Bento XV (1920), foi, declarado copadroeiro da Juventude Católica Italiana (1926) e padroeiro da região dos Abruzzi (1959). O Santuário de S. Gabriel de Nossa Senhora dds Dores, destino de numerosíssimas peregrinações, assistido pelos Passionistas, é um dos mais procurados de Itália.

 

Santo Inocêncio Canoura - Sua festa comemora-se no dia 09 de Outubro.

         O Pe. Inocêncio Canoura Arnau (Santa Lucía del Valle de Oro, Lugo, Espanha, 1887 — Turón, Astúrias, Espanha, 1934), passionista desde 1905 e sacerdote desde 1913, foi preso e fuzilado por causa da fé cristã durante a chamada “Revolução das Astúrias” (1934), quando se encontrava a celebrar a Eucaristia no Colégio dos Irmãos das Escolas Cristãs.

         Beatificado por João Paulo II em 1990, foi canonizado pelo mesmo Papa no dia 21 de novembro de 1999.

 

 

Santa Gema Galgani - Sua festa comemora-se no dia 16 de Maio.

         Gema Galgani (Camigliano, Itália, 1878 - Luca, 1903) distinguiu-se pela sua singular devoção à Eucaristia e a Jesus Crucificado, do qual experimentou, no seu próprio corpo, os principais sofrimentos, inclusive as chagas nas mãos, nos pés e no peito. Enriquecida com carismas sobrenaturais, ofereceu a sua vida pela conversão dos pecadores. Fracassada no seu propósito de ingressar nas Monjas Passionistas, viveu heroicamente no mundo a espiritualidade passionista.

         Pio XII declarou-a santa em 1940.

 

 

Santa Maria Goretti - Sua festa comemora-se no dia 06 de Julho.

         Santa Maria Goretti é considerada a mártir da castidade por ter preferido morrer apunhalada a ter-se deixado violar.

         O dia 24 de junho de 1950 foi de extraordinária solenidade em Roma: o Papa Pio XII canonizou mais uma santa na Igreja, mas, desta vez, uma simples menina camponesa, morta com apenas doze anos: Maria Goretti.

         Maria Goretti nasceu em Corinaldo, centro da Itália, aos 16 de outubro de 1890. Seus pais, Luís Goretti e Assunta Carlini, chegaram a educar sete filhos, em meio a graves dificuldades econômicas. Em busca de sustento, percorreram vários povoados e aldeias, estabelecendo-se, finalmente, no Agro Pontino, em Nettuno, 30 km de Roma, onde, em maio de 1900, veio a falecer o pai de Maria.

         A mãe Assunta, nas circunstâncias de penúria e miséria em que vivia, a fim de melhor vencer as dificuldades financeiras, unira-se com a família Serenelli, composta de pai viúvo e dois filhos. Trabalhavam à meia, num grande latifúndio.

         Em 1902, Maria era, então, uma menina de doze anos, mas crescida, bem desenvolvida fisicamente. O filho maior de Serenelli, que convivia na mesma casa com Assunta, começou a cobiçar Maria e queria seduzi-la ao mal. Apesar de sua inocência, Maria compreendeu as intenções perversas de Alexandre Serenelli.          Duas vezes tentou agredi-la, mas ela conseguiu escapar, protestando:

“Não, o que tu pretendes fazer é pecado!”.

         No dia 5 de julho de 1902, o jovem Alexandre voltou à carga, aproveitando a ocasião em que a menina estava sozinha em casa. Alexandre, esbarrando numa resistência pertinaz que vem da fé e da presença do Espírito Santo nas almas puras, descarregou sua vingança, vibrou cerca de 14 facadas contra aquele corpo inocente. Maria chama: “Mamãe, mamãe, estou morrendo!” Acudiram logo umas pessoas, e a própria mãe perguntou: “Maria, minha filha, que aconteceu? Quem foi?”. “Foi Alexandre, respondeu a menina, ele queria fazer coisas más e eu não quis, não deixei”.

         Maria foi levada, às pressas, para o hospital e sobreviveu ainda 24 horas. No hospital a mãe perguntou: “Maria, minha filha, você perdoa de todo coração a Alexandre?” “Sim, perdôo... Lá no céu, rogarei para que ele se arrependa. Ainda mais: quero que ele esteja junto comigo na glória eterna”.

         Os seus restos mortais descansam no santuário dos Passionistas em Nettuno.

 

 

Beato Domingo Barberi - Sua festa comemora-se no dia 26 de Agosto.

         Domingo Barberi (Viterbo, Itália, 1792 - Reading, Inglaterra, 1849), apelidado na região por Domingo da Mãe de Deus, professou na Congregação dos Passionistas em 1815 e foi ordenado sacerdote em 1818.

         Enriquecido por Deus com extraordinários dotes de inteligência e coração, exerceu uma intensa atividade como professor, pregador, escritor, diretor espiritual e superior. Dócil às inspirações divinas, dedicou-se ao trabalho pela unidade da Igreja em Inglaterra (1842), onde, além de fundar a Congregação, realizou um eficaz apostolado, cujo fruto mais significativo foi a entrada na Igreja Católica do Cardeal John Newman.

         Foi beatificado por Paulo VI a 27 de Outubro de 1963.

 

 

Beato Lourenço Maria Salvi - Sua festa comemora-se no dia 12 de Junho.

         O Beato Lourenço Salvi (Roma, 1782 - Capranica, Itália, 1856), tendo professado na Congregação da Paixão (1802) e sido ordenado sacerdote (1805), além da sua participação no governo das comunidades e da sua província, empregou toda a sua vida à pregação de missões populares e dinamização de retiros.

         Distinguiu-se pelo seu incansável apostolado acerca da infância de Jesus, cuja devoção promoveu com a palavra, o exemplo e os escritos.

         Foi beatificado por João Paulo II em 1989.

 

 

Beato Carlos Houben - Sua festa comemora-se no dia 05 de Janeiro.

         O Beato Carlos Houben (Munstergellen, Holanda, 1821 - Dublin, Irlanda, 1893), depois da sua profissão nos Passionistas (1845) e ordenação sacerdotal (1850), foi enviado às recentes fundações da Congregação na Inglaterra e na Irlanda.

         Homem de uma grande vida interior segundo o modelo do Fundador, distinguiu-se pelo seu apostolado das bênçãos e das confissões.

         Foi beatificado por João Paulo II em 1988.

 

 

Beato Bernardo Maria Silvestrelli - Sua festa comemora-se no dia 09 de Dezembro.

         Bernardo Maria, da nobre família Silvestrelli (Roma, 1831 - Moricone, Itália, 1911), já sacerdote, entra na Congregação dos Passionistas (1857), tendo sido, durante o seu noviciado, companheiro de S. Gabriel de Nossa Senhora da Dores.        Depois de ter ocupado distintos cargos na Congregação, foi Superior Geral nos anos 1878- l889 e 1893-1907. Acérrimo defensor do espírito da Congregação, herdado do Fundador, S. Paulo da Cruz, colaborou eficazmente na expansão do Instituto, criando-se, durante seu governo, seis novas províncias na Europa, no continente Americano e na Austrália.

         Beatificou-o João Paulo II em 1988.

 

 

Beato Pio Campideili - Sua festa comemora-se no dia 03 de Novembro.

         Pio Campidelli (Trebbio, Itália, 1869 - San Vito di Romagna, Itália, 1889), filho de agricultores, professou na Congregação dos Passionistas em 1884. Durante os sete anos de vida religiosa foi um perfeito modelo de fidelidade aos seus compromissos.

         Enquanto se preparava para o sacerdócio, morreu, vítima de grave doença, oferecendo a sua vida pela Igreja e a sua querida Romagna.

         Beatificou-o João Paulo II em 1985.

 

 

Beato Isidoro de Loor - Sua festa comemora-se no dia 06 de Outubro.

         Isidoro de Loor (Vrasene, Flandres Oriental, Holanda, 1881 - Kortrijk, Bélgica, 1916), aos 26 anos de idade entrou na Congregação da Paixão como Irmão Coadjutor. Depois da sua profissão religiosa (1908), foi destinado para serviços domésticos nas comunidades.

         A sua intensa vida de oração e de penitência, a sua caridade e simplicidade, a sua diligência e recolhimento interior, mereceram-lhe ser chamado ainda em vida “o Irmão bom”.

         Foi  beatificado, em 1984, por S. S. João Paulo II.

 

 

Beato Grimoaldo Santamaria - Sua festa comemora-se no dia 18 de Novembro.

         Grimoaldo Santamaria (Pontecorvo, FR, Itália, 1883 - Ceccano, FR, Itália, 1902), aos seus 17 anos de idade entrou na Congregação dos Passionistas (1900), morrendo apenas dois depois de meningite aguda.

         Jovem comprometido seriamente com a sua fé cristã, como Passionista sobressaiu pela sua singular devoção à Virgem Imaculada e sua heróica decisão de chegar às alturas da santidade, segundo o modelo de Jesus Crucificado.

         Grimoaldo escolheu ser feliz e descobriu o segredo para construir a própria felicidade. Amou a vida, apesar das dificuldades, obstáculos, doença. Foi enamorado da vida, da natureza, dos irmãos e irmãs, de Deus, de Nossa Senhora. E o amor tem sempre como companheira fiei a alegria.

         Ele cresce forte no físico e amadurecido no Espírito. Gosta do trabalho de seus pais e procura colaborar com os mesmos, mas, no mesmo tempo, manifesta ao pai que não tem a intenção de segui-lo: “Papai, minha paixão é o Convento e eu quero ser padre passionista”.

         Chega o momento da despedida e alguns dizem: “Agora você vai, mas depois você voltará”. Ferdinando toma isto como um desafio: “Eu vou e nunca mais voltarei”. “Ferdinando, por que quer ser Passionista?”, pergunta o pai. “Eu quero ser Passionista porque quero ser santo”, responde decidido Grimoaldo. Um jovem de uma inteligência não excepcional, mas de uma vontade férrea.

         Uma vida breve, aquela de Grimoaldo. Para alguns sem significado algum, porque sem grandes obras. Mas o significado da vida não está nas grandes obras realizadas. O significado da sua breve vida está na coerência à vocação batismal: a sua vida, de fato, é caraterizada pela pronta, generosa e intensa resposta e colaboração à ação da Graça de Deus.

         Beatificou-o João Paulo II em 1995.

 

 

Beato Nicéforo Diez Tejerina e 25 Companheiros Mártires de Daimiel - Sua festa comemora-se no dia 24de Julho

         Os 25 Passionistas da comunidade de Daimiel (Ciudad Real - Espanha), guiados pelo seu Provincial, Nicéforo Diez Tejerina, foram arrancados violentamente do convento, morrendo fuzilados por confessarem a sua fé cristã, divididos por vários grupos e lugares durante os meses de Julho, Agosto e Setembro de 1936, nos inícios da Guerra Civil Espanhola (1936-1939).

         Foram proclamados beatos por João Paulo II em 1989.

 

 

Beato Eugênio Bossilkov - Sua festa comemora-se no dia 13 de Novembro.

         Eugênio Bossilkov (Belém do Danúbio, Bulgária, 1900 - Sófia, Bulgária, 1952) fez os seus votos na Congregação da Paixão em 1920, tendo sido ordenado sacerdote em 1926.

         Homem dotado de uma grande inteligência, muito contribuiu para o desenvolvimento da diocese de Nicópolis, orientada por um bispo passionista, acabando, ele próprio, por ser o eleito para a sucessão, em 1947.

         A Bulgária vivia então (desde 1944) sob o domínio do regime comunista estalinista. Com a perseguição aos católicos, Mons. Bossilkov foi condenado à morte e assassinado por negar-se a aceitar a lei especial que pretendia separar da obediência à Santa Sé a pequena, mas compacta, comunidade católica. A sentença foi ditada a 3 de outubro de 1952 e executada a 11 de Novembro. As suas últimas palavras, por carta aos seus amigos, foram: “Não vos preocupeis comigo; eu estou assistido pela graça de Deus e permaneço fiel a Cristo e à Igreja”.

         Foi beatificado por João Paulo II a 15 de março de 1998.

 

 

Buscar

Paroquia Imaculado Coracao de Maria
Rua Orestes Bongiovani, numero 10, Sao Silvano, Colatina - ES
CEP 29703-110 Fone: (27) 3721-2075
PASCOM - Pastoral da Comunicacao picmaria.com