COMUNIDADE PADRE BEATO

JOSÉ DE ANCHIETA

 

        A Comunidade foi fundada em 27/03/1988, em um Domingo de Ramos quando foi feita uma procissão que saiu da igreja do bairro até a Matriz Imaculado Coração de Maria. O bairro estava apenas começando e a catequese já existia em uma das casas da comunidade que era cedida por uma moradora.

          Após algum tempo aconteceu um período de muita seca, então, uma antiga moradora, a Dona Lurdes Pereira Coimbra, pessoa muito religiosa, juntou um grupo de crianças e outras pessoas para rezar no topo do bairro, perto de uma árvore, onde ela fez uma cruz. Todos levavam um litro com água e uma pedra, como começou a dar certo, a fé ficou cada vez mais visível.

         Os catequistas participavam da Matriz. Em uma das reuniões com a Irmã Rafaela juntamente com o Padre Paulo Viola, foi passado que cada comunidade teria a sua própria catequese, então, o Padre Paulo Viola, sugeriu que deveria ser construída uma igreja no bairro.

         Para a construção da igreja, um lote foi doado pelo Sr. Talim (In Memorian) e o outro foi comprado pela comunidade com o dinheiro do dízimo, de festas e doações. Muitas famílias contribuíram para a construção do templo, pois, tudo era conseguido com muita dificuldade, não havia sequer água para todas as casas  do bairro. A água para a construção do templo era doada pelos vizinhos (Tereza e Ronaldo Camponês) .

         Os primeiros pedreiros e ajudantes que iniciaram a obra da igreja e presenciaram a colocação da pedra fundamental foram: João Valadão, Robaldo Camponeze e Attílio C. Lordeiro.

         Outras pessoas que ajudaram na construção e na fundação da igreja: Dalva Sartori, Avelar, Ilda Tavares da Silva e família, Lezi Reis, Neuza Borges, João Valadão,  Atílio Clodoaldo Lordeiro e família, Helena Neves e Jair Netishil dentre outras.

         Nesta época o bairro não tinha nome, era conhecido como o morro da Antártica. Então, o nome da igreja foi sugerido pelo Padre Paulo Viola, porque não tinha igreja em Colatina com esse padroeiro.

         Os primeiros coordenadores foram:

1ª Coordenadora da Comunidade: D. Ilda Tavares da Silva;

Tesoureiros: Paulo Damiani, Avelar e Tiãozinho;

Secretária: Silvia;

Liturgia: Dalva e Ana Lucia Sartori;

Catequese: Lurdes Lordeiro;

Pastoral da Criança: Cleudimar e Pracedina (Tidinha);

Batismo: Avelar;  

Primeiros Ministros: Avelar e Luiz Brás;

Músicos: Marcio, Arnaldo;

Animadores: Bruno e Ricardo;

Dentre outras pessoas que faziam parte das equipes. As novenas eram feitas por todas as equipes.

2ª Coordenadora – Pracedina (D. Tidinha) - Falecida

 

3º E 5º Coordenador - Jair Nitzel

 

4º Coordenador - Paulo Cezar Neves

 

6º Coordenador - Jair Cebim

 

7º Coordenador - Edevaldo Souza Oliveira (Fiu)

 

8º E Atual Coordenador - João Mattedi Cetto

Atuais coordenadores das equipes:

- Pastoral da Saúde: Lurdes Ximenes

- Pastoral do Dízimo: Arminda

- Pastoral da Catequese: Marlúcia Pinheiro Gomes

- Pastoral da Criança: Lúcia Helena Bruno

- Círculo Bíblico – Alcinéia

- Pastoral Litúrgica e Grupo de Oração: Woldyr

- Equipe de Canto – Edevaldo Souza Oliveira

- Pastoral da Misericórdia – Neuza Maria Lopes Nicola

 

Eventos religiosos de grande importância durante a história da comunidade:

 

 

História de José de Anchieta

         Santo, Apóstolo e Padroeiro do Brasil, José de Anchieta nasceu em 19 de março de 1534, em São Cristovão de La Laguna,Tenerife, llhas Canárias, Espanha.

         Em 13 de julho de 1553, com 19 anos chegou ao Brasil, pais que foi o palco de sua vida e obra. Foi sacerdote, missionário, professor, epistológrafo, historiador, gramático e poeta.

         Nos 44 anos que viveu no Brasil foi respeitado e venerado por todos, fossem índios, portugueses, espanhóis e descendentes desses últimos.

         Nos depoimentos das pessoas que conviveram com ele foram destacadas as seguintes qualidades: Humildade, coragem, paciência. benevolência, caridade,

espírito de oração.

         É considerado fundador ou iniciador da literatura, teatro e poesia brasileira, além de ter poetado em língua, latina, espanhola, portuguesa e tupi.

         Exerceu função de médico e enfermeiro, aprendendo com os índios a utilização das plantas medicinais.       Escreveu sobre zoologia e botânica do Brasil.

         No mar, foi piloto. Nos naufrágios, sobrevivente.

         Foi um estrategista, sempre consultado nas invasões dos franceses e índios e estimulador da ocupação territorial do Brasil.

         Seu nome está escrito entre os fundadores das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e outras.

         Morreu em Reritiba, hoje Anchieta, em 09 de junho de 1597.

         Foi proclamado Apóstolo do Brasil.

         Considerado profeta e realizador de milagres diziam possuír:

- Domínio sobre as forças da natureza: Diminuía o tamanho das vagas do oceano e

postergava o inicio de tempestades.

- Domínio sobre as aves e feras:

Aves faziam sombra contra o sol abrasador e feras não atacavam.

- Domínio sobre as plantas: Fazia flores e frutos florescerem e frutificarem fora do

tempo.

- Poder da cura: Com benção salva vida de criança que cai de uma alta torre.

Ressurreição e batismo do índio Diogo.

Com água cura mudo, asmático, paralítico etc.

- Profecia e clarividência: Previa acontecimentos futuros e desvendava o passado.

- Em suas orações, capelas enchiam-se de luz e cantos celestiais.

- Viram levitando na Igreja Nossa Senhora da Escada na Bahia.

         Sua veneração continuou após sua morte, suas graças e milagres continuam a ocorrer. Curas impossíveis são relatadas; situações insolúveis solvidas; proteção contra assaltos e sequestros.

         Em 22/06/1980 - foi beatificado pelo Papa João Paulo II.

 

Buscar

Paroquia Imaculado Coracao de Maria
Rua Orestes Bongiovani, numero 10, Sao Silvano, Colatina - ES
CEP 29703-110 Fone: (27) 3721-2075
PASCOM - Pastoral da Comunicacao picmaria.com